Social Icons

Temas ENEM: Não à liberdade de expressão

O ENEM é uma prova que se configura por eixos temáticos. Trato aqui de mais um eixo que muitas vezes volta para a prova em forma de poema e interpretação do eu lírico: Não à Liberdade de Expressão. 



Olá, estudantes do Brasil!


Leiam um trecho do Poema Sujo de Ferreira Gullar:

Texto I

Fonte: GULLAR, Ferreira. Poema Sujo. Coleção Folha: Grandes Escritores Brasileiros.

Leia o poema de Ferreira Gullar, Poema Sujo, p. 233:

1)    Publicado em 1976, Poema Sujo é considerada a obra mais ousada de Ferreira Gullar. Produzido no exílio, em Buenos Aires, surgiu da necessidade de, como ele mesmo afirmou, "escrever um poema que fosse o meu testemunho final, antes que me calassem para sempre". Numa época de forte repressão política, Gullar sentia-se acossado pela ânsia de rememorar o passado e a dificuldade de expressar, em linguagem poética, o universo interior, o que transparece, logo nos primeiros versos, no nível formal do texto.
a)    Qual a importância das assonâncias e aliterações na construção do significado do poema?
b)    Qual o tipo de linguagem que podemos perceber?
c)    Que outros recursos estilísticos podemos relacionar à mensagem do eu poético?

Para saber mais

Em uma entrevista, Ferreira Gullar afirma que gostaria de iniciar o Poema Sujo atingindo o estado mais longe que sua memória podia alcançar: “ali onde não existe nada, é tudo impreciso”. Em um depoimento mais amplo sobre como escreveu o Poema sujo, já citado nesse estudo, Gullar comenta: “O poema deve começar antes de mim, pensei, começar antes do verbo”, e logo em seguida menciona que, ao escrever as primeiras linhas do poema, ele encontrou o seu eixo central: Encontrado o umbigo do poema, ele foi ganhando corpo. Escrevi cinco páginas e parei. Estava exausto e iluminado, sabia que uma ampla aventura se iniciava, penetrara enfim a dimensão onde se acumulara a riqueza incalculável e imprevisível do vivido. O fascinante é que essa riqueza, que estava dentro de mim – e está dentro de todos – parecia agora acessível à expressão.

2)    Qual a relação que pode ser estabelecida entre o depoimento do autor e a expressão do eu lírico?

TEXTO II
                                                                                    
RECLAME
Se o mundo não vai bem a seus olhos, use lentes...
ou transforme o mundo
ótica olho vivo
agradece a preferência

Chacal

Segundo Antonio Candido, “tanto quanto os valores, as técnicas de comunicação de que a sociedade dispõe influenciam na obra, sobretudo na forma” (CANDIDO, 2006, p. 42). Levando essa afirmação em consideração, percebe-se que uma característica da poesia produzida durante a ditadura é o uso da linguagem coloquial, que é abraçada de vez nos poemas remetendo-se ao mesmo coloquialismo propostos pelos poetas da primeira fase do modernismo. Assim como foram retomados os poemas-piada, que em muitos casos eram compostos por três ou quatro versos e chegavam a lembrar algum slogan, como é o caso do poema “RECLAME” do poeta Chacal.

1)    Quais interpretações podem ser feitas acerca do título?

2)    No poema, quais propostas o eu poético faz ao leitor?
a)    No segundo verso:
b)    No terceiro verso:
c)    No terceiro verso:

TEXTOS III e IV – A voz da mulher na ditadura


Lua Cheia
Iara Vieira
Assim que as luzes
se apagaram
acendeu-se
a chama

Véspera
Lucia Melin
Guardo a égua na baia,
recolho a roupa do varal
e sinto medo.


1)    Qual a diferença entre as imagens apresentadas pelo poema?

2)      Qual a semelhança pode ser estabelecida entre as mensagens dos dois poemas?

Como cai no ENEM?

Questão 126 - ENEM 2012 - Caderno Amarelo
Logia e mitologia
Meu coração
de mil e novecentos e setenta e dois
já não palpita fagueiro
sabe que há morcegos de pesadas olheiras
que há cabras malignas que há
cardumes de hienas infiltradas
no vão da unha na alma
um porco belicoso de radar
e que sangra e ri
e que sangra e ri
a vida anoitece provisória
centuriões sentinelas
do Oiapoque ao Chuí.
CACASO. Lero-lero. Rio de Janeiro: 7Letras; São Paulo: Cosac & Naify, 2002
O título do poema explora a expressividade de termos que representam o conflito do momento histórico vivido pelo poeta na década de 1970. Nesse contexto, é correto afirmar que
  1. A
     
    o poeta utiliza uma série de metáforas zoológicas com significado impreciso.
  2. B
     
    “morcegos”, “cabras” e “hienas” metaforizam as vítimas do regime militar vigente.
  3. C
     
    o “porco”, animal difícil de domesticar, representa os movimentos de resistência.
  4. D
     
    o poeta caracteriza o momento de opressão através de alegorias de forte poder de impacto.
  5. E
     
    “centuriões” e “sentinelas” simbolizam os agentes que garantem a paz social experimentada.