Social Icons

Tutorial: Leia sempre a fonte abaixo dos textos


Você costuma ler a fonte logo abaixo dos textos em exames, vestibulares e concursos? Se a sua resposta foi não, saiba esta é uma informação valiosa em provas como estas!


Exames e provas de múltipla escolha costumam utilizar textos de fontes conceituadas. Muitas vezes, é possível um candidato identificar um gênero textual, por exemplo, apenas lendo a fonte indicada, geralmente abaixo do texto.

Dados como nome do autor, ou autores, obra e data da publicação, por exemplo, já fornecem informações importantes sobre o texto: Quem escreveu? A que obra pertence? Em que época foi escrito?

Observando esses detalhes, o leitor consegue se situar melhor na leitura e relacionar o texto com os conhecimentos que já possui. Aqui, posso parecer repetitiva, mas é fundamental que o candidato tenha um vasto repertório de leitura e conteúdos teóricos para estabelecer uma rápida ligação entre texto, fonte e questão.

Vamos ver alguns exemplos de fontes que são comuns em provas e exames:

  • jornais de grande circulação: Folha ou Estado de São Paulo, por exemplo.
  • revistas semanais de informação: Veja, Época, Isto é.
  • revistas específicas: Superinteressante, Língua Portuguesa;
  • artigos científicos
  • sites governamentais ou sites conceituados; blogs.
  • livros consagrados da literatura; coletâneas de contos e poemas; ficção
  • livros teóricos; não ficção
Atualmente é comum vermos textos retirados da internet. Isso ocorre porque a rede mundial de sites já tem um acervo bibliográfico de consistente. Blogs e sites são muito utilizados, pois apresentam textos interessantes.

A linguagem do texto também está diretamente relacionada ao conteúdo, tema e público-alvo. Por isso a fonte também nos dá uma pista sobre a adequação da linguagem ao contexto. Um blog de humor, por exemplo, pode ter uma linguagem informal, por exemplo. Diferente de blogs sobre política ou negócios.

Sugestões para estudo:

1) Pegue revistas e jornais e observe os cadernos, as seções, as divisões por assunto. Leia os textos observando gênero, conteúdo e linguagem e estabelecer uma relação com elementos ligados ao texto. Exemplo: público-alvo, conteúdo, linguagem, temas.

Uma revista que gosto de trabalhar com meus alunos é Atualidades, da Editora Abril, indicada para vestibulandos.

2) Leia alguns exemplos de exames e provas obtidos pela internet e faça relações entre fonte e texto.

3) Siga as orientações dadas no artigo de ontem e leia, respectivamente, a questão, as alternativas, a fonte e o texto.

Partindo para mais um exemplo:

  • Começando a leitura pelo comando da questão
Questão 118 - Caderno amarelo (Enem 2011)

A identidade de uma nação está diretamente ligada à cultura de seu povo. O texto mostra que, no período colonial brasileiro, o Português, o Índio e o Negro formaram a base da população e que o patrimônio linguístico brasileiro é resultado da

A questão quer que o candidato identifique e analise uma informação do texto, o que pode ser observado pelo comando da questão "O texto mostra que...".

Como a questão exige uma informação textual, ler rapidamente as alternativas será importante para que a leitura do texto tenha o objetivo de verificar qual alternativa está correta e o candidato já observe quais soam absurdas, de acordo com os conhecimentos prévios do estudante

a) contribuição dos índios na escolarização dos brasileiros (incorreta)
b) diferença entre as línguas dos colonizadores e as dos indígenas
c)  importância do padre Antônio Vieira para a literatura de língua portuguesa
d) origem das diferenças entre a língua portuguesa e as línguas tupi
e) interação pacífica no uso da língua portuguesa e da língua tupi

  •  Lendo o texto para analisar qual alternativa está correta

     Quando os portugueses se instalaram no Brasil, o país era povoado de índios. Importaram, depois, da África, grande número de escravos. O Português, o Índio e o Negro constituem, durante o período colonial, as três bases da população brasileira. Mas no que se refere à cultura, a contribuição do Português foi de longe a mais notada.
     Durante muito tempo o português e o tupi viveram lado a lado como línguas de comunicação. Era o tupi que utilizavam os bandeirantes nas suas expedições. Em 1694, dizia Padre Antônio Vieira que “as famílias dos portugueses e índios em São Paulo estão tão ligadas hoje umas com as outras, que as mulheres e os filhos se criam mística e domesticamente, e a língua que nas ditas famílias se fala é a dos Índios, e a portuguesa a vão os meninos aprender à escola.”

  • Verificando a fonte


 TEYSSIER, P. História da Língua Portuguesa. Lisboa: Livraria Sá da Costa, 1984. (adaptado)

Observe que, de acordo com as normas bibliográficas, o último sobrenome do autor sempre está à frente nas indicações de obras.

Que informações a fonte passa ao leitor? Retirado do livro História da Língua Portuguesa, é um texto teórico, expositivo, que, como o próprio título ressalta, aborda a História da Língua Portuguesa e o autor é um conhecedor do assunto, provavelmente um especialista na área.
  • Resposta correta
A alternativa correta é a letra "e", pois, segundo o texto, o patrimônio linguístico brasileiro é resultado da interação pacífica no uso da língua portuguesa e da língua tupi.

Ressaltamos que não é objetivo deste artigo analisar e justificar as alternativas, mas sim, elucidar a importância de ler a fonte para situar o texto em um contexto.

Concluindo


A fonte bibliográfica é uma importante informação sobre o contexto de produção do texto. É a partir dela que o leitor estabelece relações importantes entre elementos importantes como linguagem, estrutura, conteúdo, gênero, público-alvo, entre outros.

Resumindo



Quem gostou deste texto, gostou também de:


Marilisa Cardoso